quinta-feira, maio 27, 2010

Porque?


Imagem de arquivo pessoal

"Quero que saibas que cada vez que me convidas, eu venho sempre, sem falta. Venho em silêncio e de forma invisível, mas com um poder e um amor que não acabam. Não há nada na tua vida que não tenha importância para mim.


Sei o que existe no teu coração, conheço a tua solidão e todas as tuas feridas, as tuas rejeições e humilhações. Eu suportei tudo isto por causa de ti, para que pudesses partilhar a minha força e a minha vitória." Madre Teresa de Calcutá

Quantas vezes fazemos nós o convite? Quantas vezes abrimos o coração? Quantas vezes não fechamos o peito e os braços, impedindo de abraçar quem mais precisa?

Se seguir-mos o exemplo de Madre Teresa de Calcutá estaremos a viver segundo o exemplo de Jesus. A dar sem esperar receber. A abraçar, mesmo não sendo abraçado...

Contudo, no mundo em que vivemos, é muito mais fácil apontar um dedo que estender uma mão. O pior de tudo é que esses gestos acabam por vir das pessoas que menos esperamos.

Façamos mais como a Madre Teresa. Sejamos capazes de estender os braços abertos em vez de apontar um dedo.

E nunca esquecer... por um dedo que aponto, tenho três dedos virados para mim.

1 comentário:

Dulce disse...

Olá Ricardo.
A tua postagem deixou-me numa melancólica reflexão...
Abraçar sem esperar o abraço...
Ajudar de forma invisível...
Falar no silêncio atrvés duma oração...
Tudo isto é dar sem receber, é doação!
Tivéssemos nós essa capacidade e seriamos verdadeiramente à semelhante de quem se doou por nós até ao limite: Jesus!

Que cada dia e um passinho de cada vez nós consigamos mais ser um abraço e uma oração para os outros.
Um abraço em Cristo meu amigo.
DULCE